Banhado em nostalgia, Yooka-Laylee é fiel às experiências dos anos 90

Quando recebi a notícia, em 2014, que um grupo de antigos desenvolvedores da RARE estava montando um estúdio onde criaria o sucessor espiritual de seus maiores sucessos dos anos 90, meu mundo parou. Três anos depois nasceu Yooka-Laylee (Playtonic Games, 2017), um platformer 3D protagonizado por uma dupla carismática em um mundo pitoresco povoado por… Leia mais Banhado em nostalgia, Yooka-Laylee é fiel às experiências dos anos 90

Se não há cabelos afro em The Sims, essas minas criam!

A franquia The Sims (Maxis, 2000-2019) é sem dúvidas uma das mais populares de todos os tempos, por isto, é estranho imaginar que, mesmo depois de quase 50 jogos (somando só a linha principal e suas expansões) e ferramentas poderosas de customização, ainda há jogadores que não se sentem representados por suas personas digitais. É… Leia mais Se não há cabelos afro em The Sims, essas minas criam!

Impedir a invasão alienígena nunca foi tão legal quanto em Space Invaders Frenzy

Embora distantes de sua Era de Ouro, os arcades ainda atraem fãs de videogames e as empresas mantém um ritmo desacelerado porém constante de lançamentos e novidades. No último domingo foi aniversário do meu irmão e reunimos os amigos para umas horas de diversão eletrônica em um dos poucos fliperamas que insistem em ficar abertos… Leia mais Impedir a invasão alienígena nunca foi tão legal quanto em Space Invaders Frenzy

A divertida (e viciante) vida na fazenda em Stardew Valley

Desde que ouvi falar de Stardew Valley (ConcernedApe, 2016) pela primeira vez, pouco antes de seu lançamento na Steam, imaginei o jogo de simulação de fazenda chegando a um console da Nintendo – sonho fácil de compreender, afinal de contas, o game desenvolvido por Eric Barone abertamente bebe da fonte do clássico Harvest Moon (Amccus,… Leia mais A divertida (e viciante) vida na fazenda em Stardew Valley

Google lança desafio que premiará mulheres criadoras de games

O Google acaba de lançar um desafio exclusivo para garotas criadoras de games. O Desafio Change the Game, além de promover as mulheres que já atuam na área, tem como objetivo impulsionar uma mudança no cenário ainda dominado por homens, promovendo diversidade e igualdade. O corpo de jurados, composto por 10 mulheres influentes dentro e fora da… Leia mais Google lança desafio que premiará mulheres criadoras de games

Breath of the Wild é o jogo Zelda que mudou tudo

Quando joguei o The Legend of Zelda de 1986 para NES, pela primeira vez, no finado ano de 2013, eu já era fã declarado da franquia. Cresci com Ocarina of Time e o que veio em seguida, por isto as aventuras do herói de orelhas pontudas já não eram estranhas para mim. Porém, a liberdade… Leia mais Breath of the Wild é o jogo Zelda que mudou tudo

Este é de longe o melhor game de perguntas e respostas!

De todos gêneros de party games para juntar os amigos e família, talvez quizzes sejam os mais divertidos; e de todos os quizzes, talvez Knowledge is Power (Wish Studios, 2017) seja o que mais se destaca. Knowledge is Power é um jogo de perguntas e respostas recheado de carisma e humor, onde colocamos nosso conhecimento… Leia mais Este é de longe o melhor game de perguntas e respostas!

Duas décadas de pancadaria em Super Smash Bros.

Eu me lembro do alvoroço causado pelo lançamento de Super Smash Bros. (HAL Laboratory, 1999), as semanas que o jogo estava proibido de ser alugado na locadora porque era requisitado demais, as incontáveis horas em frente ao Nintendo 64 com os amigos aos gritos e risadas. Super Smash Bros., que dispensa apresentações e começou sua… Leia mais Duas décadas de pancadaria em Super Smash Bros.

Pancadaria de qualidade na tela do celular

Um dos meus gêneros favoritos é o beat’em up, o famoso “andar e bater”. Desde a popularização dos smartphones, não foram poucas as tentativas de portar títulos do gênero para a telinha, normalmente sem sucesso. A escassez de bons beat’em ups nos celulares me incomodava até descobrir Beat Street (Lucky Kat Studios, 2017), jogo cheio… Leia mais Pancadaria de qualidade na tela do celular

Florence narra, com delicadeza, o início, meio e fim de uma relação

Ontem, na volta para casa, fui jogando Florence (Mountains, 2018), um mini romance interativo sobre uma garota em seus vinte e poucos, que mexeu comigo mais do que eu podia prever; o game oferece uma experiência curta (cerca de 45 minutos) mas poderosa e relatável. A jovem Florence Yeoh está presa em sua rotina e… Leia mais Florence narra, com delicadeza, o início, meio e fim de uma relação

O que a plataforma Google Stadia significa para o futuro dos video games

Ontem (19 de março), durante um painel na Game Developers Conference 2019, a gigante Google anunciou sua plataforma de games por streaming, chamada Stadia. Com ela, será possível jogar video game em qualquer dispositivo através do navegador Chrome, ou seja, os jogos rodarão em qualquer computador, tablet ou smartphone com o navegador instalado, e até… Leia mais O que a plataforma Google Stadia significa para o futuro dos video games

Onde está Carmen Sandiego neste minigame do Google Earth?

Se você está na faixa dos trinta anos, certamente conhece Carmen Sandiego, a mestre criminosa ladra de relíquias, que protagonizou a franquia de jogos educativos para PC iniciada com Where in the World is Carmen Sandiego? (Brøderbund, 1985). Nos games da anti-heroína, o jogador encarnava um detetive e precisava descobrir, usando de pistas dadas por… Leia mais Onde está Carmen Sandiego neste minigame do Google Earth?

Bury Me, My Love narra a jornada de uma refugiada de guerra

Quando eu digo que jogo todo tipo de videogame, é porque eu jogo de tudo mesmo! Ao longo das últimas semanas, andei jogando Bury Me, My Love (Playdius Entertainment, 2017), que narra os perrengues que a jovem enfermeira Nour enfrenta ao migrar da Síria para a França, fugida de seu país, afligido por uma guerra… Leia mais Bury Me, My Love narra a jornada de uma refugiada de guerra

Um cartucho pode valer US$100 mil?

Como colecionador, acredito que o valor de um game é relativo*. Eu já paguei caro por cartuchos em perfeito estado de jogos que amo; também sou culpado de possuir algumas raridades pelas quais os antigos donos pediram valores exorbitantes; mas será que existe um limite? Em julho de 2017, uma cópia lacrada de Super Mario… Leia mais Um cartucho pode valer US$100 mil?